Thursday, September 29, 2011

SAUDADE

 Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.

E hoje meu coração se encheu de saudade , de tanta coisa, de tantos momentos e é impossível definir saudade né?
Pode ser triste e alegre? Pode apertar e acalmar o coração? Pode fazer rir e chorar?

Acredito na mistura disso tudo porque é só tentar classificá-la que caímos sempre em contradição.

Sinto saudade do meu pai, dos churrascos aos domingos, do sabor do  seu tempero, do arroz com batatas, do brinde com o caneco de chopp, da melancia repartida ntre os 13 filhos após o almoço e ainda guardávamos as sementes para replantar e ter sempre mais melancias, grandes e suculentas.
Saudade de vê-lo na ponta da imensa mesa repartindo o frango e cada qual tinha sua parte.
Saudade de vê-lo lendo ( devorando)  O Estado de São Paulo, sentado na sua cadeira cativa na sala de televisão.
Imensa saudade da sua voz e do seu jeito e da maneira como pronunciava seus "ditados".
Saudade de andar de Kombi com todo mundo dentro, de viajar para o interior e visitar parentes, ir a casamentos, acampar...
Saudade de andar no Jipe da Polícia, sentindo-se o máximo.
Saudade de ajudar a fabricar vinho, amassar a uva.... de ajudar a fazer os pepinos em conserva... malhar o feijão e debulhar milho.
Saudade de (tentar) ajudar  aproveitar TUDO do porco ou carneiro que era abatido para alimentar a enorme prole.
Saudade de tê-lo ao meu lado quando eu e meus amigos promovíamos festas beneficentes e lá estava ele para ajudar a cozinhar, organizar.
Saudade até de ouvir as batidas na parede da cozinha quando nós conversávamos alto e ele não conseguia ouvir a televisão.
Saudade de não falar alto porque a sesta era sagrada até às 14h, todos os dias.
Saudade de admirá-lo com os netos no colo, brincando igual criança.
Saudade da sua brabeza, da sua vaidade do seu jeito exigente de educar.
Saudade de assistir futebol com ele ( nossa como ele xingava todo mundo!).
Saudade de sentar na varanda da frente e tomar chimarrão vendo os vizinhos e conhecidos passando...
Saudade de vê-lo assando churrasco em inúmeras festas de igreja.
Saudade da presença dele no "michuim" quando eu fiz a loucura ( mais bem feita da minha vida) de sediar uma Conferência do Rotaract em Canoinhas.
Saudade do "pato com laranja", ah esse todo mundo pode tentar mas ninguém vai conseguir fazer igual.

Ninguém fritava bife de fígado igual a ele,
Ninguém ficava mais feliz com a família reunida,
Ninguém fazia a gente ficar mexendo doce no tacho por horas seguidas....

Ninguém, nunca, vai tirar essa saudade!

Tuesday, September 27, 2011

É CLARA !

Eu, na verdade, não sabia identificar e separar a menina da adulta, a garota da mulher.
Só sei que tinha algo brilhante.
E muitas vezes brilho ofusca mais do que imaginamos....
E , aos poucos, tudo foi ficando mais  Claro, mais lúcido, mais esclarecido.
Era sim uma menina cheia de travessuras que adora  doces...
Era sim uma adulta cheia de vontade de crescer e mostrar isso ao mundo...
Era sim uma garota-mulher seduzindo as presenças.
E aí fui assimilando isso tudo como um turbilhão que é e como todo turbilhão, passa, devastando tudo...
E dessa mistura de molecagem e força adulta é que surgiu o momento de conversar e ver que a adulta tinha suas inseguranças e que a criança era mais madura do que se imaginava.
E de tudo isso sobra a doçura, a meiguice e a estarrecedora capacidade de aproximar.
Foi, é será sempre um prazer tê-la por perto.
Foram poucos, mas mágicos momentos de descoberta e admiração.
Tenho orgulho de você ! Sinto uma grande alegria em te ver crescer sem deixar de ser a menina que nos cativa.
Eu sempre te vi e te vejo tão no alto, tão acima de qualquer barreira que, se você soubesse, não temeria nenhum obstáculo.
Queria eu, retribuir-lhe, com a mesma intensidade, a sua doçura !

Tuesday, September 13, 2011

CIÇA, QUE BELEZA!

E aí eu te vi vestida nessa beleza estonteante, de sorriso puríssimo e meigo, a toda prova.
Então eu te vi menina linda, desfilando charme e esbanjando simpatia.
Só depois de me recobrar do transe eu pude perceber o que essa beleza mascarava...
Uma emoção sem fim, uma disponibilidade absurda, uma preocupação com o mundo.
Você é inegavelmente linda mas, acima de tudo, é essa criação divina e perfeita que me faz vê-la cada vez mais bela.
Você, Cissa é a poesia materializada e só quem te conhece sabe por que te amamos cada vez mais.
Da sua emoção brota a sua magia.
Você consegue ser meiga e forte e, melhor, passa isso para todos e, muito mais que a beleza externa eu consigo ver a virtude.
E, sabe qual é o seu maior mérito? Aquele que eu amo perceber em você? É não se preocupar em evidenciar a sua beleza pois ela própria existe, e ela própria se manifesta nos seus atos tão verdadeiros.
Amo estar com você e poder admirar toda a sua construção, perceber que você é uma formação, junção de todo o belo.
Eu te vejo tão pouco, tão menos do que eu gostaria mas é só eu lembrar de uma beleza simples, e mais nada, que tenho tudo o que Deus fez de melhor.
A todo momento, sempre comigo.

MERIAM

E eu não te conheço, mas te sinto.
E eu nunca te vi, mas te admiro.
E é tão estranho pensar que amigo pode estar longe,
Que amigo pode ser alguém que você nunca viu pessoalmente,
É tão incrível, mesmo estando longe, pode sentir a amizade quase como um contato físico.
Mas aí me atenho ao que realmente acredito: Ter as pessoas no coração, no sentimento, na permanente emoção.
É tão bom te sentir no sentimento puro,
É especial escrever algo e imaginar o que o outro vai pensar daquilo tudo.
Fico aqui torcendo para que isso não acabe tão de repente como começou.
Mas eu bem sei que empatia precisa de duas pessoas, ela sozinha é falso magnetismo.
Se eu não posso sentir o cheiro eu amo pelo mistério,
Se eu não posso tocar, eu amo pela paz que você me provoca.
Podemos dizer que eu te conheci pela sua empatia consentida.
Assim é que as coisas acontecem.

DE REPENTE 51

De repente 51.. Não, não foi de repente. Foram todos, um a um construídos com a determinação que quem sempre soube o que veio fazer nesse...