Monday, January 25, 2016

EDUARDO RIBEIRO - SEM MEDIDA

Às vezes eu te acho certinho demais, pensamento quadradinho, sapatinho e meia.


Mas o que me alivia e é delicioso perceber que é só às vezes, tipo manias que todos temos que ter para manter o equilíbrio exigido.

Inúmeras vezes eu te vejo como uma régua quebrada, daquelas com os números desgastados pelo uso. Aquela régua que é tão nossa que a gente nem precisa de marcação para saber a medida.

Já te vi borracha de apagar, no seu momento de alento, de calmaria controlada. Mas só apaga escritas à lápis.

Já te vi caneta, escrevendo, deixando marcas, apoiadas atrás da orelha, descansando no cangote de quem quiser.

Tantas vezes te vi apontador, lapidando as pontas, quebrando outras, mas sempre auxiliando nas escritas.

Mas sabe qual é a melhor forma de te ver?
Um caderno ! 
Inúmeras folhas em branco prontas para serem preenchidas.
Um caderno daqueles com espirais grandes que para arrancar as páginas tem que fazer esforço, ou não.
Um caderno ! 
Disponível somente para quem vai utilizar para estudo, para belos escritos, para longas cartas e curtos bilhetes de amor.

Thursday, January 21, 2016

SUZY - O MEU TOM

Eis que na mais singela, tranquila e linda sensibilidade alguém chega e muda o seu tom, revira suas amarguras e traveste suas decepções rotineiras.
Alguém que chega de mansinho e diz que perdeu o fôlego, que iluminou-se com um ato seu.
Ah, sem pestanejar eu agradeço e com as pestanas já molhadas eu me recolho pra ter só em mim aquela sensação de aconchego, de orgulho do coração construído com todos os elementos que enfrentei.
Isso é carícia com palavras, gestos sutis, despretensiosos a pousar no seu âmago.
E é daí que sai de mim toda expressão, toda vontade de continuar e me aperfeiçoar.
E então veio a frase matadora, que para alguns pode soar piegas, pronta ou sem reflexão : "Obrigada por existir..."
Calou-me fundo e, mesmo sentado eu me senti de joelhos no chão, reverenciando toda obra do Criador, incluindo a dona do meu dia mais feliz.

Thursday, January 14, 2016

SÓ SAUDADE

- Ontem ouvi aquela nossa música, senti saudade de você.
- Então por que não veio aqui me ver?
- Eu disse que estava com saudade, não com vontade de te ver.

Wednesday, January 13, 2016

ESPELHO MEU

Eu te disse, várias vezes, que a vida é como um espelho. 
Ele reflete suas ações.
Mas você decidiu cobrir o espelho com um pano.
Mas os reflexos continuaram.
E um dia, na esperança de que o espelho tivesse se esquecido de como se reflete, de tanto estar encoberto, retirou o pano.
Demorou tanto para ter esse reflexo.
Percebeu que o espelho continuava refletindo.
Mas o que não existia mais era o reflexo.

DE REPENTE 51

De repente 51.. Não, não foi de repente. Foram todos, um a um construídos com a determinação que quem sempre soube o que veio fazer nesse...