Wednesday, February 17, 2016

MEU MEDO, NOSSO MEDO E A ATITUDE

Se o medo de mergulhar é mais forte do que a vontade de vencer, não adianta molhar os pés.
O medo nada mais é do que estar suscitado pela consciência do perigo.
Pois bem, talvez mergulhar não seja a única alternativa para ter sucesso em algo.
Não é o mergulho que fará a diferença,mas sim estar banhado da água.
Então que tal retirar a água e banhar-se por inteiro?

Não é atirando-se de um precipício que se aprende a voar, e  talvez não haja a necessidade de voar como pássaros. 
Pode-se voar com os pés no chão e a cabeça buscando o céu.

O medo pode ser uma defesa e mais: um alerta, o corpo em ameaça.
Não é do medo que devemos fugir, é da nossa falta de capacidade instalada de acreditar que só existe um tipo de superação.

O medo é um sentimento particular. Cada um tem o seu. Cada um reage de uma maneira.
E sem buscar profundas definições, aprendi que medo não se supera sozinho, precisa de ajuda e pode ser a sua.

Não torne-se obediente ao medo, mas sim da sua vontade.

Seja o detetive da sua vida, teste o medo!




Tuesday, February 16, 2016

DIFERENTES METADES

Incansavelmente ele procurou  a "metade da sua laranja".
- Encontrei! disse ele.

Então casou-se, orgulhoso do resultado da sua caça. 
Feliz, pois não era mais uma metade, apenas.

E com o tempo o fogo da paixão foi se abrandando e com esse diminuto vieram as diferenças.

-Isso é natural em um relacionamento! Precisamos ajustar as coisas. Comentou...

Mas os ajustes tornaram-se forçosos planos de restabelecimento porque, com tardia maturidade, ele descobriu que a outra metade não era a metade da sua laranja.

E ao invés de casar-se com uma laranja inteira procurou uma metade, sendo uma também. 
Tudo foi pela metade, era a metade de cada, que não formava uma laranja inteira.

Então, atônito, constatou que nenhuma laranja no mundo é igual a outra e assim também não são suas metades e então se deu conta que casou-se com uma laranja inteira, própria com suas duas metades que se encaixavam perfeitamente.

Deu-se conta de que foram duas laranjas inteiras que casaram, cada qual com suas sementes, seus sucos, seus gomos; únicos, hereditários e cheios de historia.

E assim aprendeu a respeitar o outro por inteiro, formando um casal de duas laranjas.
E por fim percebeu que cada um carrega sua individualidade e que cada laranja tem casca própria a ser desnudada sem a necessidade do corte.

Monday, February 15, 2016

ETIQUETAS

Pode parecer bobagem mas vejo etiquetas desbotarem sem que sequer as pessoas leiam suas instruções.

A falta de postura, de comportamento, de gentileza e até de civilidade, joga a polidez no lixo.


A etiqueta, assim como as das roupas exige que sejam seguidas para que os tecidos, os comportamentos e as relações durem mais.


A temperatura errada queima ao passar.
O alvejante mancha peças escuras.
E o sol em excesso desbota.


Seguir as etiquetas é simples, basta ter carinho, suavidade e
 atenção.
Não coloque todo mundo na mesma máquina!

Thursday, February 11, 2016

SORRI

Sorri quando te vi chegar, quis você toda pra mim e sabia que uma linda história se iniciava ali.
E eu não queria mais nada além de viver perto de ti.
E foi então que tudo foi se fazendo felicidade e amor e eu não pensei e joguei o coração na frente.
E Tudo o que nos uniu ainda vive em nós, na terra fértil que cultivamos e então sempre brota uma flor para alegrar nossos dias. Uma para cada um.
E o meu presente tem olhos no passado feliz que você me fez viver e querer sempre mais nas nossas canções.
E se nossa construção é de amor, é nele que me edifico todos os dias.
E tudo o que foi, sempre será nas minhas mais particulares lembranças.
E hoje eu sorri novamente...


DO PÓ NÃO VIVERÁS

Ele foi se enfronhando na superficialidade.
Foi enveredando, talvez, pelo lado mais fácil da escolha.
E assim foi seguindo seus dias com a rasa tendência de quem se contenta com o pó dourado da superficialidade.
Certo de suas escolhas foi saboreando tudo o que o momento, e tão somente o momento, lhe dava.
E sem pensar em fazer planos, foi vivendo como se não houvesse o amanhã.

E sem perceber foi trilhando e deixando um legado seco de história e consequentemente um futuro sem qualquer sabor.
E sem olhar para trás não percebeu que, por  só viver o momento, não permitiu que no caminho trilhado crescesse qualquer vida.

Antes tivesse contentado-se com migalhas, que essas sim se consegue juntar, fazer bolinhos cada vez maiores, unindo-os aos outros já feitos.
Mas contentou-se com o pó que apesar de brilhante basta uma leve brisa para voar e encontrar outro que também não tem interesse na construção.

E sem dar vida à sua vida brincou de fazê-la apenas um substantivo.

Sunday, February 07, 2016

O Comportamento Elegante

Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.

É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado.

É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.

É uma elegância desobrigada.

É possível detecta-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam, nas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.

É possível detecta-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas, nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É possível detecta-la em pessoas pontuais.
Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.
Oferecer flores é sempre elegante.

É elegante você fazer algo por alguém e este alguém jamais saber disso...

É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.

É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.

É elegante o silêncio, diante de uma rejeição.

Sobrenome, jóias e nariz empinado não substituem a elegância do gesto.

Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo.

É elegante a gentileza...
Atitudes gentis, falam mais que mil imagens
Abrir a porta para alguém... é muito elegante
Dar o lugar para alguém sentar... é muito elegante.
Sorrir sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma...
Olhar nos olhos ao conversar é essencialmente elegante.
Pode-se tentar capturar esta delicadeza pela observação,
Mas tentar imita-la é improdutiva.
A saída é desenvolver a arte de conviver, que independe de status social: é só pedir licencinha para o nosso lado brucutu, que acha que “com amigo não tem que ter estas frescuras”.

Educação enferruja por falta de uso.

E, detalhe: não é frescura.


Friday, February 05, 2016

JANELAS

Todas as janelas fechadas.

Ela sabe que há somente uma que a levará ao seu destino.

Então inicia sua busca frenética por essa nesga que a libertara.

E, desesperadamente, sem nenhum pudor vai tentando abrir as janelas.

Enfim, pára, planeja e assim acha um jeito de ir ao encontro da sua liberdade.

Sai triunfante, vitoriosa e liberta.


Vive como se não houvesse o amanhã.

Experimenta todos os sabores, vislumbra novas matizes, cheira o novo.


Enjoa, enfadonha-se e quer voltar.

Mas ela se esquece de que as janelas só abrem pelo lado de dentro.

DE REPENTE 51

De repente 51.. Não, não foi de repente. Foram todos, um a um construídos com a determinação que quem sempre soube o que veio fazer nesse...